quarta-feira, 9 de março de 2011

Roucamente

Roucamente
Wellington Trotta 

Percebi que, pelo passar das horas, seu sorriso exalava
uma oração aos meus olhos perplexos pela luminosidade.
A música entoada pelo seu brilho ensurdecia minha visão e
calava o meu olhar extasiado por absorver tanta vida.
Estranho sentimento de perda seus lábios me inspiravam
através de sua voz, roucamente distante.


α ... Ω




3 comentários:

Cris de Souza disse...

feito um sussurro...

(gostei de conhecer esse seu outro tom)

Andréia Accioly disse...

O começo e o fim.
α ... Ω
Sapere Aude !!!

Sarah Cardoso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.